Nina Simone: Biografia

A cantora, pianista e compositora americana Nina Simone, nasceu em 21 de fevereiro de 1933, em Tyron e faleceu em 21 de abril de 2003, na cidade de Carry-le-Rouet. Registrada com o nome de Eunice Kathleen Waymon preferiu o nome Nina Simone para seguir carreira artística, nome esse, que ela adotou para se tornar uma cantora de Blues quando tinha somente 20 anos de idade.

http://www.youtube.com/watch?v=D5Y11hwjMNs

Falando na sua carreira de cantora do estilo, ela fez diversas apresentações nos Estados Unidos, nessa época, sem que os seus pais tomassem conhecimento. Cidades como Atlantic City, Filadélfia e Nova Iorque foram alguns dos lugares que ela esteve cantando Blues. A cantora escondia dos pais a carreira artística porque eles eram pastores metodistas e não concordariam nunca. Voltando a falar do nome artístico, o Nina vem do diminutivo “little one” e Simone foi uma homenagem que a cantora americana quis fazer a uma atriz que ela admirava muito, Simone Signoret, do cinema da França.

Seus “problemas” para seguir a carreira artística começaram logo quando ela demonstrou interesse em fazê-lo. A sua primeira tentativa de entrar em um conservatório de música na cidade de Filadélfia foi falida. Na verdade, não foi permitido a jovem que o fizesse. Depois disso, ela passou por um outro episódio desagradável. Sempre defendendo o combate ao racismo, Nina Simone foi perseguida pelos seus ideais. Abrindo um parênteses, a cantora não só estava presente no enterro do pacifista Martin Luther King, como cantou no momento.

Um Pouco da Vida Pessoal da Cantora Nina Simone

Não foi só por causa das suas ideias contra o racismo que Nina Simone sofreu, ela também teve problemas de violência doméstica. A cantora era agredida pelo marido, um policial nova-iorquino. E segundo ela, o problema era pela cor da sua pele.

E Nina Simone seguiu tentando e mais uma vez não foi feliz, tendo fracassado quando tentou entrar em um conservatório como uma concertista. Mesmo assim, ela viveu um longo período em New York indo para Atlantic City quando apareceu uma oportunidade para ser pianista em um bar. Foi então, que Nina começou a cantar, porque na verdade, ela queria mesmo era tocar piano e mais nada. Porém, o dono do bar ameaçou a tirar o seu trabalho caso ela não cantasse e tocasse e foi nessa época que ela passou a ser a Nina Simone. E algumas músicas se tornaram inesquecíveis na sua voz:  Here Comes The Sun,  My Baby Just Cares For Me, Feeling Good,  Aint Got No – I Got Life,  I Wish I Know How It Would Feel To Be Free.

A Voz Marcante de Nina Simone

Mesmo sem conhecer a trajetória musical da cantora Nina Simone é possível perceber que ao longo da sua carreira, somente ouvindo a sua voz, ela passou por vários estilos musicais. Para não ficar na dúvida, a cantora e compositora colocou a voz em canções gospel, blues, folk, jazz e soul.

Além disso, entrou para história por ter entrado na importante escola Julliard School of Music de New York, sendo uma das primeiras artistas negras que conseguiu o feito. Ainda falando da sua ligação com a causa contra o racismo, uma das suas canções virou o hino ativista da causa, estamos falando de “Mississippi Goddamm”. A música fala do episódio ocorrido em 1963, em Birmingham, quando 4 crianças negras foram mortas em uma igreja da cidade.

Nina Simone esteve no Brasil e chegou a gravar no Metropolitan com a cantora Maria Bethânia no ano de 1997. A cantora chegou a vir uma segunda vez.

Nina morreu enquanto dormia.

Se Quiser Ouvir Nina Simone: Veja os Títulos da sua Discografia

  • Em 1958 entrou no estúdio da Bethlehem Records e gravou Little Girl Blue.

  • No ano de 1959 pela gravadora Colpix Records gravou: Nina Simone and Her Friends, The Amazing  Nina Simone e Nina Simone at Town Hall (com versão ao vivo).

  • Ainda pela mesma gravadora, Colpix Records, gravou em 1960: Nina Simone at Newport (ao vivo) e Forbidden Fruit, em estúdio.

  • Pela Colpix Records em 1963: Nina’s Choice e Nina Simone  at Carnegie Hall, esse segundo ao vivo.

  • Em 1964, o último disco pela Colpix Records: Folksy Nina

  • Ainda em 1964, pela Philips Records: Broadwauy Blues Ballads, Nina Simone in Concert (ao vivo).

  • No ano de 1965, pela Philips Records lançou: I put a spell on you, Sincerly Nina e Pastel Blues. No ano seguinte, em 1966, lançou pela Colpix: Nina Simone with Strings.

  • No mesmo ano, 1966, lançou pela Philips: Let it all out, Wild is the Wind.

  • No ano de 1967, pela RCA Records lançou: High Priestess of Soul, Nina Simone Sings the Blues e Silk&Soul. No ano seguinte, sempre pela mesma gravadora: Nuff Said! E ainda em 1969: Nina Simone and Piano e To Love Somebody. No mesmo ano e por outra gravadora, PM Records: A very rare evening.

  • Pela RCA Records em 1970 lançou o álbum ao vivo: Black Gold. No ano seguinte, Here Comes the Suna e Gifted & Black (pela Canyon Records). Ainda pela mesma gravadora em 1972: Emergency Ward.

  • No ano de 1973 lançou pela gravadora Stroud: Ao vivo at Berkeley e Gospel According to Nina Simone. (ambos ao vivo)

  • Em 1974: RCA Records: It is finished e Stroud, Sings Billie Holiday.

  • Em 1978: CTI Records, Baltimore, em 1980, pela Enja, The Rising Sun Collection, pela Carrere, em 1982, Fodder on my wings e pela StarJazz, em 1984, Backlash.

Outros Discos da Carreira de Nina Simone:

  • 1985: Nina’s Back e Ao vivo & Kickin.

  • 1987: Ao vivo at Ronni Scott’s, The Nina Simone Collection e Let it be me.

  • 1993: A Single Woman

  • 2003: Four Women: the Nina Simone, Gold e Anthology.

Outros discos da cantora foram lançados depois da sua morte, várias coletâneas, produzidas por diversas gravadoras, com os seus maiores sucessos.

As canções de Nina Simone até hoje fazem parte do repertório das mais diversas bandas, e principalmente, não faltam nas apresentações de cantores de jazz ou blues. Apesar de ter passado por tantos estilos diferentes, a cantora americana e pianista, tornou-se mais conhecida e popular pelo estilo blues e a voz marcante que colocava em cada canção.

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Internacionais

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *