Vozes Femininas Mais Bonitas Da Atualidade

01: Loreena McKennitt

Loreena McKennitt Isabel Irene, cantora e instrumentista de temas celtas e do Oriente Médio. McKennitt é conhecida pelos claros sopranos vocais considerados lírios para o ouvido té mesmo dos menos apreciadores. Já vendeu mais de quatorze milhões de álbuns em todo o globo terrestre. Quando jovem queria ser veterinária! Porém, ela mesma já chegou a dizer que a música a escolheu. Com o desenvolvimento da paixão aprendeu a tocar harpa. Começou a se apresentar em locais públicos, incluindo o Mercado São Lourenço, em Toronto, a fim de ganhar dinheiro para gravar seu primeiro álbum.

McKennitt representa o ícone da música celta, embora contenha aspectos e características musicais de todo o mundo. Ela compõe qualquer música. Dedica-se à pesquisa considerável sobre um assunto específico, que forma então o conceito geral do álbum. Talvez seja por este empenho que desde os anos oitenta a cantora está no topo das paradas de sucesso do Canadá e da Escandinávia.

Chegou a passar longas temporadas na Irlanda para se inspirar na cultura do país quando compôs o álbum “THE MASK AND MIRROR”.  Interessante que a própria autora diz que também englobou estudos feitos em sessões celtas da Espanha, junto com as abundantes raízes arábicas. O resultado foi um álbum que incluiu elementos do Celtic e da música árabe.

Em 2005, McKennitt foi envolvida em um processo judicial amargo na Grã-Bretanha. O seu amigo e empregado Niema Ash publicou livro que continha detalhes íntimos, inclusive com informações pessoais confidenciais que Ash não tinha o direito de publicar. Os tribunais britânicos descobriram que não havia sido de fato uma violação de confiança e desvio de informações privadas McKennitt.

Loreena McKennitt

Loreena McKennitt

02: ENYA

Cantora, instrumentista e compositora que ganhou o mundo em consequência dos níveis cristalinos que envolvem a sua voz.  Enya começou sua carreira musical em 1980, na banda CLANNAD, antes de sair para a carreira em solo. Ganhou reconhecimento em consequência do gênero celta. Continuou a fazer sucesso constante entre nos anos noventa do século XX.

Em 2000, o álbum “A DAY WITHOUT RAIN” vendeu quinze milhões de cópias, se tornando o álbum mais vendido da primeira década de 2000. Em 2001, foi considerada como a cantora feminina mais vendida em todo o mundo. Seu trabalho lhe rendeu quatro prêmios Grammy e uma nomeação ao Oscar.

ENYA

ENYA

Enya executa toda a percussão, instrumentos e vocais em suas peças.  Apesar de existirem algumas apresentações com instrumentos acústicos, quase todos os sons das peças tradicionais são criadas por sintetizador.

O seu som característico usa arranjos simples com extensos rastreamentos de múltiplos vocais realizados individualmente, depois mergulhados em conjunto para formar coros. Neste sentido, todas as vozes de grande parte das músicas de Enya são dela mesmo.

Existem algumas músicas dela que são cantadas em japonês e LOXIAN – língua inventada para que os nobres romanos pudesse se comunicar. A maioria de suas músicas é cantada no inglês, algumas em irlandês, ou até mesmo latinas.

No ano de 2006, Enya conquistou destaque ao ser anunciada como um membro entre os três mais ricos do campo artístico na Irlanda. “Minhas influências são com música irlandesa, música de igreja e música clássica”, disse ela em uma entrevista de 1997.

Além de realizar participações para o Papa, a cantora participou de uma transmissão ao vivo na BBC, na noite de Natal, em 1997, antes de ela voltar ao Condado de DONEGAL para se juntar a sua família à missa da meia-noite. Ela ainda canta no coro de sua mãe, em cada natal na Missa do Galo da igreja de Santa Maria.

03: LISA GERRARD

Cantora e compositora australiana. Desde que sua carreira começou, em 1981, Gerrard foi envolvida em uma ampla gama de projetos. Recebeu Globo de Ouro para a trilha sonora do filme Gladiador, que fez junto com Hans Zimmer. Além de cantar, ela é uma virtuosa instrumentista.

Nasceu no dia 12 de abril de 1961, em Melbourne. Cresceu no subúrbio de Prahran junto com os seus pais imigrantes irlandeses. Falando sobre sua educação, ela disse que cresceu com “música mediterrânica estridente dentro de casa”.

Gerrard possui o alcance vocal em níveis considerados acima da média entra as cantoras profissionais, abrangendo notas, desde E3 até F5. A voz dela é descrita como rica, profunda, escura, triste e única. Possui o dom de cantar e tornar a música sombria, cativante e misteriosa. Ela também tem a capacidade de ampliar para cima, ao soprano dramático tipo gama.

Gerrard tem dois filhos. É casada com o artista, design gráfico e produtor musical, Jacek Tuszewski, com quem tem uma filha (nascida em 1992). Seu sobrinho, Jack Gerrard, é baterista e vocalista back-up.

A primeira experiência de Gerrard em música para filme veio em 1989, no filme espanhol “El Niño de la Luna”, dirigido por Agustín Villaronga. A metragem descreve a história de David, jovem órfão com poderes especiais que escapa de uma instituição de recuperação de menores com a ajuda de um colega detento.

Em sua carreira, Gerard participou de diversos projetos de trilhas sonoras como compositora de cinema. Conseguiu amplo destaque mundial com a sua composição para o “Gladiador”, no ano 2000, que faz em conjunto com Hans Zimmer. Interessante notar que somente Zimmer foi indicado ao Oscar que conseguiu conquistar no mesmo ano. Porém, no Globo de Ouro os dois foram indicados em conjuntos, conquistando assim o respectivo projeto na ocasião.

04: OFRA HAZA

Nasceu em uma família judia pobre com nove irmãos, em Israel. Com doze anos de idade se juntou a uma companhia de teatro local. Aos dezenove anos foi à primeira estrela pop de Israel que conseguiu destaque com fama em nível mundial. Os jornalistas de música descreveu-a como “A Madonna do Oriente”, tamanho o seu impacto na cultura da música de Israel.

Seu primeiro álbum, intitulado Al Ahavot Shelanu (Nosso Amor), foi lançado em 1980 e rendeu uma sequência de hits de rádio populares, incluindo Hageshem (a chuva), Ahava Shir La’chayal (Canção de Amor para o soldado).

Um segundo álbum logo foi lançado em seguida, “Bo Nedaber” (Vamos Conversar), o disco de ouro acabou saindo em consequência dos sucessos como: Tfila (Oração) e Simanim Shel Ohavim (Sinais dos amantes).

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
História

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

  • na miinha opinião faltou Órla Fallon embora considero a voz de Amy Winehouse muito boa e Norah Jones

    Byron ribeiro 16 de outubro de 2013 12:53 Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *