Biografia De Bob Marley: Política e Reggae

Cantor e músico jamaicano. Ele era guitarrista da banda The Wailers (1974-1981). Creditado por ajudar a espalhar a música jamaicana e o movimento Rastafári à audiência mundial. Foi influenciado por questões sociais da terra natal, dando voz ao nexo político e cultural da Jamaica.

Biografia De Bob Marley: Política e Reggae

Biografia De Bob Marley: Política e Reggae

Início Da Vida De Bob Marley

Nasceu em 06 de fevereiro de 1945, na vila de Nine Mile, paróquia de Saint Ann, Jamaica. Seu pai, Norval Sinclair Marley (pele branca), era inglês-jamaicano cuja família veio de Sussex, Inglaterra. Foi capitão do Royal Marines, supervisor de plantio quando se casou com Cedella Booker (pele negra), afro-jamaicana com dezoito anos de idade.

Início Da Vida De Bob Marley

Início Da Vida De Bob Marley

Norval forneceu apoio financeiro à mulher e filho, mas raramente se encontrava com os familiares por causa das viagens a trabalho. Em 1955, quando Bob Marley tinha dez anos, morreu de um ataque cardíaco aos setenta anos

Embora Marley reconhecesse a ascendência mista, ao longo de sua vida e por causa de suas crenças se identificou com o negro africano, seguindo as ideias de líderes do gênero. Marley afirmou que suas duas maiores influências foram: Marcus Garvey e Haile Selassie.

Tema central na mensagem de Bob Marley era a repatriação dos negros para Sião, que em sua opinião era a Etiópia. Em algumas canções ele canta sobre as lutas dos negros africanos e contra a opressão do Ocidente, ou “Babilônia”.

Bob Marley: Década De 60

1960: Embora criado na tradição católica, Marley ficou cativado por crenças Rastafári enquanto esteve longe da influência da mãe. Converteu a religião de maneira formal depois que voltou de viagem realizada à Jamaica. Começou a usar a marca registrada em sua imagem: Dreadlocks.

1962: Gravou os dois primeiros singles com música local produzida Leslie Kong. Estas canções, lançadas no rótulo de Beverley, sob o pseudônimo de Bobby Martell, atraiu pouca atenção.

1963: Bob Marley, Bunny Wailer, Peter Tosh, Junior Braithwaite, Beverley Kelso e Cherry Smith formaram o grupo de ska e rocksteady. “The Wailing Wailers” foram descobertos pelo produtor de discos Coxsone Dodd, ponto em que modificaram o nome para “The Wailers”.

1966: Braithwaite, Kelso e Smith deixaram o The Wailers, permanecendo o trio central de Bob Marley, Bunny Wailer e Peter Tosh. No mesmo ano Marley se casou com Rita Anderson, mudando para perto da residência da mãe, em Wilmington, Delaware, nos Estados Unidos, por curto período de tempo, durante o qual trabalhou como assistente de laboratório e na linha de montagem de planta Chrysler, sob o pseudônimo de Donald Marley.

1968-1972: Vida De Bob Marley

Depois de conflito com Dodd, Marley e a banda se juntaram com Lee “Scratch” Perry no estúdio. Embora a aliança durasse menos de um ano, eles gravaram o que muitos consideram o melhor trabalho do The Wailers. Marley e Perry lutaram à cessão de direitos de gravação, mas eles continuaram amigos e trabalhando juntos novamente.

Ridgmount Gardens, Bloomsbury, Londres, 34: Primeiro endereço de Bob Marley no Reino Unido, apartamento em Londres. Entre 1968 e 1972, Bob, Rita Marley, Peter Tosh e Bunny Wailer cortaram faixas antigas com registros JAD, em Kingston e Londres, em tentativa de comercializar o som dos Wailers.

Entre as décadas de sessenta e setenta, Bob e Rita visitaram o Bronx para ver Johnny Nash. Jam Session de três dias com Norman e outros nomes consagrados do gênero musical jamaicano resultou em fita de 24 minutos de Marley tocando músicas da própria autoria e composições de Norman.

Esta fita é rara segundo Roger Steffens (conhecido arquivista do reggae). Em 1972 os Wailers entraram em acordo malfadado com a CBS Records e embarcou em turnê.

1973: Catch a Fire e Burning

No ano de 1973 o álbum “Catch a Fire” foi lançado pelos Wailers, embalado como disco de rock com único isqueiro Zippo. Inicialmente a venda de 14.000 unidades não fez de Marley uma estrela, mas recebeu recepção positiva crítica. Ele foi seguido por Burning, que incluiu as canções de destaque “Get Up, Stand Up” e “I Shot The Sheriff”.

1974: Fim Do Waiters

Erick Clapton gravou cover da música em 1974, que se tornou enorme sucesso americano, e projetou a Marley ao mundo. Muitos jamaicanos não estavam interessados no novo som de reggae “melhorado” em Catch a Fire, mas o estilo de Burning encontrou atraiu fãs de outros gêneros musicais. Clique neste link e ouça a regravação original de Clapton.

The Wailers estavam programados para abrir 17 shows para o alto número de demanda do movimento negro nos Estados Unidos. Depois de quatro apresentações a banda foi demitida por ser mais popular do que os conjuntos principais. Bob Marley & The Wailers ao vivo no Crystal Palace Park durante a Revolta de turismo

The Wailers se separou em 1974, com cada um dos três principais membros procurando carreiras-solos. A razão para o rompimento está envolto em conjeturas, alguns acreditam que houve divergências entre Bunny, Peter e performances de Bob, enquanto outros afirmam que Bunny e Peter simplesmente preferiram trabalho solo.

Apesar do rompimento, Marley continuou a gravar como “Bob Marley & The Wailers”. Sua nova banda de apoio incluiu os irmãos Carlton e Aston Barrett, na bateria e baixo, respectivamente, Junior Marvin e Al Anderson na guitarra.

Em 1975, Marley teve seu primeiro sucesso internacional com seu primeiro sucesso fora da Jamaica, “No Woman No Cry”. Sob o nome de Bob Marley e The Wailers foram lançados onze álbuns.

Morte Do Bob Marley

O último show da carreira de Bob Marley foi realizado 23 setembro de 1980, no Teatro Stanley, em Pittsburgh, Pensilvânia. Pouco depois, a saúde de Marley se deteriorou e ele ficou muito doente, o câncer havia se espalhado por todo seu corpo. Enquanto voava para casa, da Alemanha para a Jamaica, as suas funções vitais pioraram. Ele morreu no Cedars of Lebanon Hospital, em Miami, na manhã de 11 de maio de 1981, com a idade de 36.

A propagação do melanoma para os pulmões e cérebro foi o grande causador da morte. Suas últimas palavras para seu filho Ziggy foram “O dinheiro não pode comprar a vida”. Marley recebeu um funeral na Jamaica em 21 de Maio de 1981, que combinou elementos da ortodoxia etíope e da tradição Rastafari. Ele foi enterrado em uma capela perto de sua cidade natal com sua Gibson Les Paul vermelha.

Artigo Escrito por Renato Duarte Plantier

Gostou? Curta e Compartilhe!

Categoria(s) do artigo:
Internacionais

Artigos Recentes

Artigos Relacionados


Artigos populares

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *